Menu
ASSOMASUL MARÇO
quarta, 24 de abril de 2019
mutantes
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Alemanha se opõe a bônus em euro e pede mais cooperação

22 Ago 2011 - 17h03Por O Globo

A Alemanha rejeitou fortemente ao longo do final de semana crescentes pedidos para que a zona do euro emita dívida de forma conjunta, mas sinalizou que está aberta para um movimento em direção a uma união fiscal, com o ministro de Finanças dizendo que, pessoalmente, apoia um contraparte europeu.

- Os bônus em euro são exatamente a resposta errada para a atual crise - afirmou a chanceler alemã, Angela Merkel, à rede pública de TV do país ZDF, em entrevista neste domingo. - Eles (os bônus em euro) nos levariam a uma união de dívida, e não a uma união de estabilidade - acrescentou.

A Alemanha, que se beneficia de menores custos para emitir dívida em comparação a outras nações da zona do euro, tem liderado a resistência à emissão de títulos públicos denominados na moeda única.

Isso contrasta com a opinião de alguns países parceiros, como Bélgica e Itália, e a Comissão Europeia, que nesta semana disse estar ainda estudando a viabilidade desses bônus e que pode apresentar o esboço de uma legislação para eles.

Os comentários de Merkel neste domingo estão em sintonia com os feitos pelo ministro de Finanças alemão no início desta semana. Wolfgang Schaeuble afirmou que a zona do euro poderia emitir dívida em conjunto apenas se tiver uma política fiscal comum, alertando que, caso contrário, haveria o risco de inflação e de desestabilização do bloco de moeda única.

As pressões para que Alemanha e França tomem ações radicais sobre a crise de dívida cresceram nesta semana, conforme os mercados financeiros recuaram mais e a Bélgica reforçou o coro dos que querem a emissão conjunta de bônus em euro.

Merkel disse que a solução para a atual crise está mais próxima da cooperação econômica na Europa, principalmente na zona do euro.

- A zona do euro precisa trabalhar ainda mais junta, mas precisamos também trabalhar juntos dentro da Europa dos 27 - disse, referindo-se à União Europeia (UE), formada por 27 países.

- Nossa moeda não é respaldada por uma união política. Agora a tarefa é tornar o euro forte por meio de mais cooperação econômica e, principalmente, de mais comprometimento.

A fala de Merkel esteve em linha com a de Schaeuble, que em recentes declarações disse ainda ter esperanças de que a zona do euro possa evoluir para uma união política.

- Como pessoa física, o Wolfgang Schaeuble já está preparado (para delegar soberania a Bruxelas). Não tenho problema com a ideia de um ministro de Finanças europeu - afirmou ele à edição deste domingo do jornal Welt am Sonntag.

- Mas, como ministro de Finanças, digo: é nosso dever aqui e agora resolver os problemas o mais rápido possível, com base nos contratos existentes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - INSCRIÇÕES ABERTAS
Bonito (MS) receberá o 1º Open de Squash em maio, inscrições já estão abertas
TURISMO
Na região Norte, rota “Cerrado Pantanal” quer ser novo destino turístico de MS
GERAL
MS tem saldo acumulado de 10.570 empregos com carteira assinada gerados no ano
POLÍCIA
Polícia Civil participa de operação nacional para cumprir mandados de prisão contra foragidos
POLÍTICA
Lama Asfáltica: 3ª Vara nega novo pedido para que ação vá para a Justiça Eleitoral
LOTERIA
Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira o maior prêmio deste ano
CIDADES
Com rios entupidos por vegetação ribeirinhos do Pantanal de MS são levados para médico de helicópter
BONITO - MS - TRABALHO LEGISLATIVO
Confira o trabalho do seu vereador durante sessão ordinária da Câmara em Bonito (MS)
BONITO - MS - NA CÂMARA
Vereadores solicitam que antiga iluminação do CMU seja aproveitada em bairros de Bonito (MS)
EMPREGOS E CONCURSOS
Governo de MS divulga inscrições para pós-graduação em saúde pública