Menu
ITALÍNEA DOURADOS
tera, 13 de novembro de 2018
KAGIVA
Busca

Agência de classificação de risco eleva perspectiva de nota do Brasil

26 Ago 2011 - 15h46Por Folha.com

A agência de classificação de risco S&P (Standard & Poor's) elevou a perspectiva da nota soberana do Brasil em moeda local de estável para positiva. Revisar a perspectiva indica que, no curto prazo, a nota deve ser elevada.

Atualmente, o Brasil possui ratings BBB-/A-3 em moeda estrangeira e BBB+/A-2 em moeda local pela S&P.

Segundo a agência, a elevação reflete as alterações adotadas em sua metodologia de avaliação de ratings soberanos, adotadas a partir de 30 de junho. A perspectiva em moeda estrangeira já havia sido elevada para positiva em 23 de maio.

Segundo o comunicado da agência, a perspectiva positiva leva em consideração fatores que garantem a estabilidade macroeconômica do país que darão continuidade ao fortalecimento da economia nos próximos anos, como a redução gradual das limitações fiscais e do risco a choques externos.

No dia 11 de agosto, a agência japonesa R&I Japan elevou a nota do Brasil. A japonesa não é tida como uma das principais classificadoras de risco, mas a mudança representou o primeiro sinal de uma possível elevação da nota por outras agências depois de o país atingir grau de investimento, em 2008.

CREDIBILIDADE

Essas instituições vivem um momento de crise de credibilidade, por não terem conseguido prever os recentes problemas econômicos enfrentados por países como a Itália, Portugal e os Estados Unidos. As agências mais tradicionais são Fitch, Moody's e S&P (Standard & Poor's).

No dia 5, a S&P rebaixou a nota da dívida americana de AAA para AA+ devido aos riscos políticos e ao peso da dívida americana em relação ao PIB (Produto Interno Bruto).

Segundo o comunicado, o rebaixamento da maior potência mundial reflete a opinião da S&P de "que o plano de consolidação orçamentária que o Congresso aprovaou recentemente fica aquém do que, na nossa visão, é necessário para estabilizar a dinâmica do débito do governo a médio prazo".

A disputa entre os partidos --Democrata e Republicano-- sobre a política fiscal americana também deixou a agência pessimista sobre a capacidade dos EUA conter o deficit.

Nesta terça-feira (23), o presidente da S&P deixou o cargo, encerrando duas semanas de controvérsias após o rebaixamento da nota de crédito dos EUA pela agência, que gerou um impasse com o Tesouro americano. Fontes do mercado financeiro acreditam que a queda do executivo tenha relação com o rebaixamento da maior economia mundial.

O corte de um ponto no rating do país, tirando-o do status "AAA", não foi seguido por outras agências de risco e gerou a maior baixa em três anos nos mercados globais de ações, sendo criticada por autoridades do Tesouro e do governo do presidente Barack Obama, por conta da metodologia usada pela S&P.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - PONTO FACULTATIVO
Prefeitura terá ponto facultativo nesta sexta-feira (16) em Bonito (MS)
CIDADES
Após 10 anos, mulher ganha direito de ter sobrenome de 2 mães já falecidas
ALERTA
Imunização contra febre amarela deve ser feita de forma antecipada
OPERAÇÕES DA PF NO ESTADO
De quarta a domingo, PRF reforça fiscalização nas rodovias do Estado
EDUCAÇÃO
MS terá Centro Nacional de Mídias para implantação do Novo Ensino Médio
CIDADES
Vencedores do XIII Prêmio de Gestão Pública serão conhecidos no dia 19
ECONOMIA
Bandeira tarifária de energia é amarela em novembro
BONITO - MS - BALNEÁRIO MUNICIPAL
Prefeitura renova permanência de quiosques no Balneário Municipal em Bonito (MS)
CIDADES
Advogada que defenderia traficante Jarvis Pavão é executada em cidade paraguaia na fronteira com MS
CIDADES
Briga por carrinho de compras em supermercado termina com homem perfurado por chave de carro em MS