Menu
BONITO_PREFEITURA_FEVEREIRO_2019
tera, 19 de fevereiro de 2019
mutantes
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Ação Civil contra os vereadores de Bonito quer suspensão do Auxílio Transporte

O Ministério Público Estadual, por meio do Promotor de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social de Bonito, Thalys Franklyn de Souza, propôs na ..

8 Jul 2011 - 13h47Por Boni Miranda - Bonito Informa

O Ministério Público Estadual, por meio do Promotor de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social de Bonito, Thalys Franklyn de Souza, propôs na segunda-feira, 4 de julho, Ação Civil Pública por Pagamento Indevido contra a Câmara Municipal de Bonito - representada pelos nove vereadores, com o objetivo de suspender o pagamento mensal do “auxílio-transporte”, no valor de R$ 1.800,00.

A verba tem como finalidade atender despesas de manutenção e abastecimento dos veículos particulares dos vereadores para deslocamento dentro da área urbana, rural e distrital do município - no exercício dos trabalhos, sem necessidade de comprovação.

O pagamento é autorizado pela Lei Municipal n. 1.162/2009, mas a promotoria argumenta que a verba paga não tem natureza indenizatória, e sim remuneratória - o que torna o seu pagamento inconstitucional.

Nesse sentido, o promotor afirma que o pagamento indiscriminado aos vereadores, sem nenhuma exigência de comprovação das despesas não configura ressarcimento e dá ao pagamento o caráter de verba salarial - remuneratória, contrariando o disposto no parágrafo 4º, do artigo 39 da Constituição Federal.

O promotor Thalys argumenta ainda que para que pudesse ter natureza indenizatória o auxílio-transporte teria que ser pago mediante a correspondente comprovação documental. Pondera também que com o valor pago é possível adquirir por mês 600 litros de gasolina, por vereador, o que excederia em muito a própria capacidade de utilização, fato este que reforça a essência remuneratória.

Na ação proposta é pedida a concessão de liminar suspendendo o pagamento até o julgamento da ação; a fixação de multa pecuniária no valor de R$ 10.000,00 no caso de descumprimento da medida e, se julgada procedente, que a Câmara não pague mais o auxílio-transporte e os vereadores restituam ao município os valores já recebidos, com juros e correção monetária.

O valor estimado para a causa, para fins fiscais, é de R$ 100.000,00.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - HORÁRIOS E LOCAIS
Confira os locais e horários das provas do Concurso Público em Bonito (MS)
TEMPO E TEMPERATURA
Terça-feira será de sol na maior parte do Estado, mas chuva pode vir à tarde
SAÚDE
Combate a hanseníase: Carreta da Saúde segue por MS e estaciona em Jardim
GERAL
Em MS, 54 mil trabalhadores nascidos em março e abril podem sacar o PIS a partir de quinta-feira
POLÍCIA
PM cumpre dois mandados de prisão e recaptura um evadido do Sistema Prisional em Guia Lopes
POLÍCIA
Polícia Militar apreende 35 pacotes de cigarros contrabandeados em Nioaque
BONITO - MS - SAÚDE
Projeto Roda-Hans/Carreta da Saúde atende amanhã em Bonito
GERAL
Municípios interessados em sediar eventos da Fundesporte devem apresentar propostas até 1º de março
DEFESA SANITÁRIA
Em MS, médicos veterinários cadastrados para coleta de mormo recebem capacitação
ESPORTES
FCMS e Fundesporte abrem inscrições para o primeiro curso de Arbitragem em Canoagem do MS