Menu
KAGIVA
segunda, 15 de outubro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca
SOLVÊNCIA

MS renegociou R$ 3,6 bilhões em dívidas com União e BNDES

Pedido de redução das parcelas ainda está em análise

12 Jan 2018 - 07h56Por DA REDAÇÃO

Mato Grosso do Sul conseguiu renegociar R$ 3,6 bilhões em dívidas com a União e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os dados constam de balanço divulgado ontem pelo Tesouro Nacional, que informa que 18 Estados solicitaram o benefício, no valor total de R$ 458,9 bilhões.

Os pedidos foram todos aprovados. Nas contas do Tesouro, isso deverá resultar em uma redução potencial no fluxo de pagamentos da dívida com a União de R$ 44,7 bilhões de julho de 2016 e junho deste ano. As informações são da Agência Brasil.

O governo de Mato Grosso do Sul conseguiu renegociar somente com a União R$ 3.300.168.109 e o status configura como “deferido”. Já o pedido de redução regressiva das parcelas encontra-se “em análise”. O alongamento da dívida será para 240 meses. Para MS, a redução potencial no fluxo de pagamento da dívida foi de R$ 2,287 bilhões.

No caso do BNDES  foi autorizada renegociação de débito de R$ 341.251,86, referente a dois contratos, um do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e o Programa Emergencial de Financiamento.

Solicitaram a renegociação os estados do Acre, Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. 

A renegociação se dá no âmbito da Lei Complementar nº 156/2016, resultado do Acordo Federativo celebrado entre a União e os Estados em 20 de junho de 2016.

Além do alongamento de dívidas com a União, a nova lei complementar prevê a renegociação de linhas de crédito com recursos do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) e a adesão ao Novo PAF (Programa de Apoio à Reestruturação e ao Ajuste Fiscal dos Estados).

O prazo legal para o alongamento das dívidas com a União e de linhas de crédito com recursos do BNDES terminou em 23 de dezembro.

Em contrapartida ao alongamento da dívida com a União, a lei complementar previu que os Estados instituíssem um teto para as despesas primárias correntes por dois anos. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÃO DA PMA
PMA apreende rede e anzóis de galho nos rios Miranda e da Prata
RIO MIRANDA EM BONITO - MS
Em BONITO, Rio Miranda atinge nível de emergência e Imasul emite alerta a ribeirinhos
PRIMEIRO PESQUISA DO 2º TURNO
Pesquisa do 2º turno para governador do MS indica Reinaldo com 54%, veja números
BONITO - MS - E MAIS 56 CIDADES
BONITO e mais 56 cidades do MS em sinal de alerta para mais tempestades
EM CIDADE DO MS
Rapaz morre afogado enquanto nadava em lago de represa em cidade do MS
ELEIÇÕES 2018 - AÇÃO NA FRONTEIRA
Bolsonaro planeja implantar trabalho do DOF nas demais fronteiras do Brasil
BRASILEIRA EXECUTADA
Brasileira dona de escritório contábil é executada com 9 tiros de pistola na fronteira com MS
ROTA 262 - CORUMBÁ - MS
Rumo a Corumbá: 262 é rota da chipa, jacaré pego à unha e a doce prosa
BALANÇO DOS ACIDENTES
Dez crianças morreram e 37 ficaram inválidas após acidentes em MS neste ano
MAIS CHUVA NA CAPITAL
Chuva volta e em poucos minutos já causa alagamentos em Campo Grande