Menu
ITALÍNEA DOURADOS
sexta, 16 de novembro de 2018
KAGIVA
Busca
MEIO AMBIENTE

MS e MT concluem Termo de Cooperação para uniformizar legislação sobre o Pantanal

9 Nov 2018 - 12h52Por DA REDAÇÃO

O diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), Ricardo Eboli, e o secretário de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso, André Luís Torres Baby, finalizaram o teor de um Termo de Cooperação que será firmado entre os dois estados visando a uniformização e a compatibilização do regramento sobre o uso, gestão, conservação, proteção e preservação dos recursos naturais do Pantanal. Eboli considerou o acordo como o passo mais importante das autoridades ambientais dos dois estados em direção à gestão sustentável da planície pantaneira.

“Os estados estão unidos pela gestão do bioma Pantanal. Temos legislações próprias sobre uso dos diversos recursos naturais, como pesca, atividades de ecoturismo, substituição de pastagem nativa, compensação de reserva legal, e com esse termo de cooperação vamos buscar uniformizar a legislação de forma harmônica para dinamizar e ampliar o alcance de nossas políticas e ações”, disse o presidente do Imasul.

MS e MT têm buscado o equilíbrio no regramento visando preservar “o bem mais precioso do Pantanal”, que são seus recursos naturais, sobretudo a água. Foto: Semagro

Na visão do secretário André Baby, o que Mato Grosso e Mato Grosso do Sul têm buscado é o equilíbrio no regramento visando preservar “o bem mais precioso do Pantanal”, que são seus recursos naturais, sobretudo a própria água. O objetivo do convênio é “uniformizar a legislação e as políticas públicas para não criar competitividade entre os estados, já que o Pantanal é um só”, falou o secretário.

Projeto de Lei do Pantanal

Secretário de Estado de Meio Ambiente do MT, André Baby, e o diretor-presidente do Imasul, Ricardo Eboli. Foto: Valmir Martins

A aproximação dos dois estados ocorre no momento em que se discute no Congresso Nacional o Projeto de Lei 750/2011, que tenta impor regras sobre o uso do solo e toda gestão dos recursos naturais do bioma Pantanal.

Autoridades, ambientalistas, proprietários de imóveis, produtores rurais, empresários e moradores da região encaminharam subsídios para aprimorar a letra da lei à real necessidade local. Entretanto, foram surpreendidos ao perceber que as alterações propostas – e acordadas com o relator da matéria – não foram consideradas. O projeto estava em pauta para ser votado nesta semana e só foi retirado após intensa articulação dos dois estados.

“Essa não é uma terra inabitada. Somos seres viventes daqui. Aqui tem gente, tem governo, tem lei”, afirmou o secretário André Baby, refutando a tentativa de se impor uma legislação ao Pantanal sem ouvir nem considerar a opinião dos habitantes locais. “Os estados são soberanos e precisam ser respeitados. Esse projeto de lei retira a competência do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul de legislar sobre a região, e submete o Pantanal a uma lei federal e até a tratados internacionais. Precisamos de menos Brasília aqui”, disse Eboli.

O homem pantaneiro vive há centenas de anos no bioma mais preservado do País e é o responsável por sua preservação. Foto: Silvio Andrade

O diretor do Imasul referia-se à Convenção de Ramsar, um tratado intergovernamental criado em 1971 inicialmente com o intuito de proteger os habitats de aves migratórias, e ao longo do tempo ampliou sua preocupação com as demais áreas úmidas do planeta. “O Pantanal é dos brasileiros de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul. Do homem pantaneiro que vive lá há centenas de anos e foi responsável por sua preservação, tanto que é o bioma mais preservado do País”, completou.

O Termo de Cooperação deve ser assinado em reunião nas próximas semanas entre os governadores Reinaldo Azambuja (MS) e Pedro Taques (MT). Além de afinar o olhar sobre a legislação de uso dos recursos naturais da planície pantaneira, um dos primeiros frutos desse trabalho conjunto deve ser a harmonização das leis sobre pesca, com o estabelecimento de período compatível de defeso e proibições de petrechos, e ainda ações conjuntas visando a recuperação do rio Taquari, disse Eboli.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ALCOOLISMO
Em MS, jovem de 21 anos passa horas consumindo bebida alcoólica e morre
BONITO - MS - ACADEMIA AO AR LIVRE
Já licitada, Prefeitura vai instalar duas novas academias ao ar livre em Bonito (MS)
CAMPO GRANDE - MUITA CHUVA
Chuva forte deixa trechos alagados e trânsito tumultuado em Campo Grande
BONITO - MS - NOVO COORDENADOR
Odilson nomeia novo coordenador da Defesa Civil de Bonito (MS)
BONITO - MS - REINAUGURAÇÃO
OKA Pisos e Acabamentos reinaugura hoje às 19h, OKA de cara nova em BONITO (MS)
BONITO - MS - REVITALIZAÇÃO
Prefeitura revitaliza iluminação da Praça da Liberdade e do CMU em Bonito (MS)
FORA DA POLÍTICA
Procurador, Sérgio Harfouche nega candidatura e confirma desfiliação da política
GOVERNADOR DO MS EM BRASÍLIA
Carta de governadores a Bolsonaro tem 4 propostas apresentadas por Reinaldo
BONITO - MS - TRABALHO LEGISLATIVO
Confira o trabalho do seu vereador durante sessão ordinária da Câmara de Bonito (MS)
BONITO - MS - DURANTE SESSÃO
Na Tribuna, Vereador pede novos cursos para a UFMS de Bonito (MS)