AGÊNCIA_SUCURI_MEGA_BI
Bonito Informa - Notícias de Bonito e região
Bonito, 17 de Outubro de 2017
DELPHOS_FULL
CLINICA_RITH
3 de Julho de 2017 07h03

Movimento separatista quer tranformar MS em um novo País

Top Mídia News
DivulgaçãoDivulgação

Há um ano, um grupo em Campo Grande criou um perfil no Facebook propondo a independência de Mato Grosso do Sul do resto do país. A justificativa seria uma economia melhor e a separação seria de forma pacífica, ao contrário da maioria dos movimentos ocorridos no mundo. 

Intitulada de 'Movimento MS Independente', o grupo propõe que o atual estado de Mato Grosso do Sul seja uma nação livre e independente. A ideia foi inspirada em outros movimentos separatistas como a Catalunha, que quer se separar da Espanha e dos países bálticos.  

O rompimento, conforme a página, seria feito de forma pacífica, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, diz um dos posts. ''Não pretendemos pegar em armas para a liberdade, ou ódio ao Brasil, ou bairrismo ou qualquer outra coisa'', disse um dos administradores da página, Lucas Coldebella, 24.

Ele diz que o movimento está no início e conta somente com as publicações da página, que tem o objetivo principal de quebrar o tabu de que secessão é se isolar. 'Pelo contrário, secessão é somente uma independência econômica e legislativa'', explicou Lucas.

O administrador garante que não há influência de nenhum político no movimento e nem pretende se envolver com política. 

(Independência de MS será pacífica, garante administrador - Foto: Reprodução) 

Um dos argumentos mais utilizados em sua campanha é o aspecto econômico. Lucas diz que MS é superavitário em relação ao Brasil, mas o retorno em serviços vai muito além da riqueza que o estado gera ao pais. 

Em um dos posts, há uma comparação entre estados e o sul e o resto do pais. A tabela, feita por um grupo separatista do sul do País, com informações do relatório de Análise da Arrecadação das Receitas Federais de 2016, mostra que Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul arrecadaram R$ 167.765.541,093 naquele ano, mas a taxa de retorno ficou em torno de 20%, ou seja, R$ 34.189.662, ao passo que Alagoas arrecadou somente R$ 3.631.550.736 e surpreendentemente teve uma taxa de retorno de R$ 220%, com R$ 8.006.511.518.

O texto sugere que alguns estados, nesse caso o Sul, ‘’carregam nas costas’’ outras unidades da federação. 

((Tabela mostra relação de arrecadação de impostos x retorno - Fonte: Receita Federal)

Sobre Mato Grosso do Sul, a tabela mostra que o estado arrecadou R$ 6.754.384.183, mas teve de retorno de 64%, ou R$ 4.307.658.590.  Na nova nação, explica Lucas, o país precisaria apenas de uma economia livre, pois um território não depende apenas de recursos naturais ou do setor primário.

Ele cita o caso da Suíça, que não possui nenhuma riqueza natural, ‘’apenas montanha e gelo’’, com  ’economia livre. Além disso, ele destaca que  empreendimento flui e a Suiça é o terceiro país mais capitalista do mundo’’. 

Ainda segundo os organizadores, MS tem tem uma qualidade de vida superior à média nacional, cujo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) dados de 2010, é 0,730, ao passo que a média brasileira naquele ano foi de 0,699, ou seja, MS tem índice bom, semelhante ao da Sérvia (0,735), país que se separou de Montenegro em 2006. 

O grupo usa a decadência do futebol sul-mato-grossense, que segundo eles ocupa a 21 posição no ranking da CBF, para mostrar como seriam os novos conceitos econômicos do novo pais. 

A ideia seria transformar MS em um paraíso fiscal, com nenhum ou pouco imposto e isso atrairia investidores estrangeiros para o esporte local, que comprariam times a preços baratos e fariam investimentos pesados aqui. A liga de futebol seria totalmente privada, sem nenhuma obrigação com o estado, e como consequência a qualidade do futebol aumentaria, além da maior circulação de dinheiro, gerando emprego e renda, algo que o estado não é capaz de fazer. 

(Grupo quer independência e diz que estados são 'colônias de Brasília - Foto: Reprodução)

Segundo Lucas Coldebela a ideia de separação ainda é nova e o grupo ainda não possui detalhes de como será a nova bandeira ou hino. Porém, na página há sugestões dos próprios administradores, sendo que o nome mais cotado seria Maracaju. 

Até um mapa político do novo país já foi postado e traz Campo Grande como distrito federal e os estados com suas respectivas capitais, sendo Taquari (Coxim), Aquidauana (Aquidauana), Pantanal (Corumbá), Bodoquena (Bela Vista); Cassilândia (Chapadão do Sul); Dourados (Dourados); Iguatemi (Ivinhema); Nova Andradina (Nova Andradina); Paranaíba (Aparecida do Taboado) e Três Lagoas (Três Lagoas). 

As diversas postagens trazem uma série de críticas ao modelo atual, sendo que MS hoje é considerda por eles como uma ‘colônia de Brasília'’. As publicações trazem também artigos em favor da separação. 

A página tem poucos apoiadores, mas que são grandes entusiastas da ideia. Uma mulher, ao comentar uma imagem aérea e noturna de Campo Grande diz: ‘’Linda Capital e longe da corrupção de Brasília’’. 

Em meio ao culto da separação, aparecem críticos que abrem um debate maior sobre a questão. Um internauta postou: ‘’Vocês são todos loucos. A roubalheira política continuará igual, mesmo que cada estado brasileiro vire país pois a ignorância do povo será sempre a mesma que atende aos interesses dos poderosos’’. 

Comentários
Veja Também
DROGÃO_BONITO_300_100
Últimas Notícias
  
bonito_celular
CLÍNICA_RITH_300
dothCom © Copyright BonitoInforma - Todos os Direitos Reservados.