Menu
KAGIVA
quinta, 24 de janeiro de 2019
ITALÍNEA DOURADOS
Busca
UNIPAR_PC
OPERAÇÃO

Em MS, PF mira traficantes que lavavam dinheiro com doleiro da Lava Jato

Operação Efeito Dominó acontece nesta terça-feira em mais seis estados

15 Mai 2018 - 08h11Por DA REDAÇÃO

A Polícia Federal de Curitiba (PR) deflagrou nesta manhã a Operação Efeito Dominó, desdobramento da Operação Espectrum realizada no ano passado, que desarticulou quadrilha do tráfico de internacional de drogas e lavagem de dinheiro chefiada por Luiz Carlos da Rocha, o Cabeça Branca, um dos maios fornecedores de entorpecentes da América do Sul.

A ação mira alvos em Campo Grande e Dourados, onde deve haver prisões, além de Amambai, bem como em outras oito cidades nos estados do Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará, Paraíba, Distrito Federal e São Paulo. Ao todo, 90 policiais cumprem 18 mandados de busca e apreensão, cinco de prisão preventiva e três de prisão temporária.

Segundo nota divulgada pela PF, durante a investigação foi possível identificar uma complexa e organizada estrutura destinada à lavagem de recursos provenientes do tráfico internacional de entorpecentes. De um lado, “clientes doleiros” tinham a necessidade de grande volume de reais em espécie para o pagamento de propinas e de outro, traficantes internacionais como Cabeça Branca tinham disponibilidade de recursos em moeda nacional e necessitavam de dólares para efetuar as transações com fornecedores de cocaína.

Dentro das estruturas investigadas neste caso, verificou-se a atuação concreta e direta de dois operadores financeiros (doleiros) já conhecidos de operações anteriores da Polícia Federal – Operação Farol da Colina (Caso Banestado) e Operação Lava Jato. Ambos foram alvos de tais investigações pelas práticas dos mesmos crimes ora investigados.

Quanto ao operador financeiro já investigado na Lava Jato, chama atenção o fato de ter retornando às suas atividades ilegais mesmo tendo firmado acordo de colaboração premiada com a Procuradoria Geral da República (PGR), posteriormente homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A PGR e o STF serão comunicados sobre a prisão do réu para avaliação quanto à quebra do acordo firmado.

O trabalho tem o objetivo de reunir informações complementares da prática dos crimes de lavagem de dinheiro, contra o Sistema Financeiro Nacional, organização criminosa e associação para o tráfico internacional de entorpecentes.

A denominação “Efeito Dominó” é uma alusão ao fato de existir um efeito em cascata no tráfico pois, por se tratar de crime que visa lucro, o dinheiro ilícito amealhado, especialmente no grande volume identificado nesta operação, necessita de forte estrutura de lavagem de dinheiro, consistente na movimentação de recursos em espécie no país com a intervenção de operadores financeiros.

A referência também se baseia na identificação dos procedimentos sobrepostos de lavagem de dinheiro identificados, sempre com o objetivo de ocultar a origem e o real beneficiário dos recursos provenientes do tráfico internacional de drogas. Os presos serão conduzidos à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde permanecerão à disposição da Justiça Federal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EM MS
Lutador tem liberdade negada e Justiça marca 1ª audiência de madrasta que pisoteou bebê até a morte
AGENDA
Carreta da Justiça atende moradores de Paraíso das Águas até sexta-feira
CIDADES
Morre o ator Caio Junqueira, uma semana após acidente de carro no Aterro
BONITO - MS
Passeios em Bonito são finalistas de prêmio internacional de sustentabilidade
CIDADES
Gabeira visita Rio da Prata e faz alerta para que “paraíso continue de pé”
GERAL
MP-MS se adequa a Lei de Acesso à Informação e muda regra sobre sigilo em inquéritos
MIRANDA - MS - AFOGAMENTO
'Prainha', local onde criança morreu afogada já estava interditada por risco de morte em Miranda
BONITO - MS - AÇÃO POLICIAL
Embaixo da ponte sobre o Rio Formoso, PM flagra homem e menores alcoolizados em Bonito (MS)
TRÂNSITO
Acidente entre dois carros na MS-276 deixa mulher presa nas ferragens
BRASIL
Cápsula com césio-137 é achada em ferro velho de Alagoas